Regresso ao Trabalho: 7 formas de rentabilizar (e atenuar)

Para que não enfie a cabeça numa pilha de papéis e se entregue ao stress logo após as férias, reunimos alguns conselhos para regressar mais facilmente às rotinas e aos horários de trabalho.


1. Regresse a casa um dia antes das férias acabarem

Pode parecer algo óbvio para quem tem filhos e sabe, à partida, que precisa de tempo para reorganizar a rotina familiar. Mas é certo que há quem queira aproveitar todos os minutos das férias e opte por chegar a casa no último instante, sem oportunidade para desfazer malas, lavar roupa ou preencher as lacunas da dispensa. Pois bem, voltar num sábado em vez de num domingo pode, na verdade, diminuir o impacto do primeiro dia de trabalho.
Ajuste progressivamente os horários e as rotinas – alguns dias antes, comece a organizar-se e às tarefas da casa, de modo que a transição seja o mais suave possível


2. Planear o regresso ao trabalho

Se conseguir, regresse ao trabalho a meio da semana – assim, são apenas dois ou três dias até uma nova pausa propiciada pelo fim-de-semana e o impacto da mudança é menor.


3. Aproveite o primeiro dia de trabalho

No primeiro dia de trabalho, levante-se um pouco mais cedo do que o necessário de modo a ter algum tempo para cuidar de si, tomando o seu pequeno-almoço sem pressa e saindo de casa com tempo.

É provável que queira fazer em duas horas tudo aquilo que não fez nas duas semanas em que esteve fora. A iniciativa pode até ser de louvar, mas é necessário “não estragar as férias logo na primeira manhã”. Quer isto dizer que é preciso não esquecer que se veio de férias há relativamente pouco tempo e que o primeiro dia de trabalho (e até a primeira semana) diz respeito a um período de adaptação — de transição, se quisermos. Um conselho: “No primeiro dia faça por reter na memória a melhor lembrança das férias. A ideia não é ficar de ressaca, antes prolongar o bom humor por mais um tempo, antes de ser atropelado pelo trabalho.”


4. Arrume a secretária, mas não a caixa de e-mail

Uma vez no local de trabalho, dê nova vida ao seu espaço – reorganize a secretária e liberte-se dos objetos que estão a mais: assim, é mais fácil enfrentar o dia.

Existe um estudo que associa a desorganização de uma secretária à menor produtividade. Pela lógica apresentada, quanto mais organizada está a secretária, mais motivados e concentrados estamos. A ser verdade, é um conselho válido em período pós-férias, mas não só.

Mas no que toca à caixa de e-mail a conversa é outra. “Se num dia normal devemos ler a caixa de e-mail apenas três ou quatro vezes, no primeiro dia de férias, logo pela manhã, os e-mails são para esquecer”. Caso a vontade de passar os olhos seja muita, o melhor é não processar os e-mails por ordem cronológica, mas, ao invés, dar prioridade a determinados remetentes — chefes, colegas de equipa e clientes incluídos. Há formas de determinar quais os e-mails enviados diretamente para nós, sendo esta uma das ferramentas a dar uso. “Ninguém lê os e-mails todos” e, mais importante do que nos focarmos nas mensagens virtuais à nossa espera num computador, é travar conversas com os colegas. Não há melhor forma de fazer um ponto de situação.


5. Não mergulhe logo no trabalho

Encare o regresso ao trabalho como um recomeço, o iniciar de uma nova etapa.

Regressar de férias com tempo é essencial para não cair na teia do stress pós-férias, daí que seja necessário fazer pausas regulares, que incluem meter conversa com os colegas, e resistir a fazer mais do que uma tarefa ao mesmo tempo.

“Quando se volta ao trabalho, a pessoa deve pensar quais são os seus projetos mais importantes. Ou seja, deve ganhar perspetiva de como vai ser a semana.” Dito isto, é importante que o dia de regresso não seja mote para se pegar em projetos megalómanos. Mas mais do que fazer uma lista de prioridades, é importante fazer uma lista de resultados. “Quais são os três resultados que quero para o dia de hoje?”, por exemplo.

É importante priorizar o dia, mas também os resultados que queremos alcançar.


6. Saia a horas

Na verdade, não é preciso um formador para dizer o quão importante é o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, sobretudo após um período de descanso, em que o corpo e a mente se habituaram a relaxar. “É preciso sair-se cedo para não sobrecarregar, para manter os níveis de stress reduzidos. Não é para estragar tudo logo no primeiro dia.”

Não regresse apenas ao trabalho – retome as atividades que lhe dão prazer, como a ida ao ginásio ou o jogging ao final da tarde.


7. Prolongue o espírito das férias

Os momentos positivos e agradáveis que vivenciamos durante as férias não têm de ser exclusivos deste período – podemos prolongá-los e trazê-los para o nosso quotidiano. Pense em como pode adaptar as atividades mais agradáveis das férias para o seu quotidiano – combine um jantar de amigos, vá a uma esplanada ao final do dia, programa uma escapadela no fim-de-semana.

No fundo, implemente no seu dia-a-dia aquilo de que as férias nos recordam – a importância do tempo livre e do prazer. Não se limite a pensar que as férias são boas e o trabalho é mau, como duas realidades completamente opostas. O trabalho dá estrutura à nossa vida e não é impeditivo da existência de momentos de prazer e tempo livre. Estes podem – e devem – existir nos períodos de pausa, no final do dia de trabalho, nos fins-de-semana.


Bom regresso, Bom trabalho!!!

Fontes: várias: CUF, Advancecare

Deixe uma resposta

%d bloggers like this: