As Lesões Músculo-esqueléticas Relacionadas com o Trabalho (LMERT)

A Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho, na Campanha 2020-2022 “Locais de Trabalho Saudáveis: Aliviar a Carga”, tem como incidência nas lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho (LMERT), por se tratar de uma das doenças laborais mais comuns. A prioridade nas lesões músculo-esqueléticas prende-se com a prevalência que as mesmas têm a nível da União Europeia (UE), pois aproximadamente três em cada cinco trabalhadores nos 28 países apresentam queixas relacionadas com este tipo de lesões.

O que são Lesões Músculo-esqueléticas?

As LMERT cobrem um conjunto alargado de problemas de saúde. A designação “lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho” inclui um conjunto de doenças inflamatórias e degenerativas do sistema locomotor. São patologias resultantes de traumatismos repetitivos que atingem as estruturas orgânicas como os músculos, as articulações, os tendões, os ligamentos, os nervos, os ossos e doenças localizadas do aparelho circulatório, causadas ou agravadas principalmente pela atividade profissional e pelos efeitos das condições imediatas em que essa atividade tem lugar. Quando os fatores de risco de origem profissional contribuem, de alguma forma, para o desenvolvimento ou agravamento destas situações pode considerar-se que se está perante uma LMERT. Designam-se LMERT as lesões que resultam da ação de fatores de risco profissionais como a repetitividade, a sobrecarga e/ou a postura adotada durante o trabalho, entre outros.

Fatores de risco

  • Movimentação e levantamento de cargas, especialmente quando executados movimentos de torção e flexão;
  • Movimentos repetitivos, utilizando sempre as mesmas regiões anatómicas para a aplicação da força;
  • Posturas incorretas, estáticas ou extremas (quase no limite das possibilidades articulares e fora dos ângulos de conforto articular);
  • Estar de pé ou sentado, na mesma posição, durante muito tempo;
  • Exposição a vibrações, choques ou impactos mecânicos frequentes sobre determinados segmentos corporais, em particular os membros superiores;
  • Ambientes com má iluminação ou temperaturas baixas;
  • Trabalho em ritmo acelerado e ausência de períodos de recuperação entre tarefas.

Há também uma correlação entre as lesões músculo-esqueléticas e os fatores de risco psicossociais, especialmente quando conjugados com fatores de riscos físicos, incluindo:

  • Elevado volume de trabalho;
  • Pressão temporal de execução das tarefas;
  • Autoritarismo das chefias e mecanismos de avaliação do desempenho baseados nos níveis de produtividade;
  • Pouca autonomia;
  • Pouca satisfação no trabalho;
  • Monotonia de tarefas;

Zonas Corporais mais afetadas pelas Lesões Músculo-esqueléticas

Zonas corporais mais afetadas

As lesões mais comuns são no pescoço, costas, ombros e membros superiores, podendo ocorrer em qualquer parte do corpo exposta aos fatores de risco.

Sintomas

  • Dor localizada ou que irradia para áreas corporais próximas;
  • Sensação de formigueiro na área afetada ou numa área próxima;
  • Sensação de peso, cansaço ou desconforto localizado;
  • Sensação de perda de força no local.

Na grande maioria dos casos, os sintomas surgem gradualmente, agravam-se no final do dia de trabalho ou durante os picos de produção e aliviam com o repouso e nas férias.
É fundamental, para evitar a progressão das lesões já descritas, conhecer quais os fatores de risco profissionais, para poder implementar medidas preventivas de forma a promover a alteração das condições de trabalho e a minimizar os vários danos aos trabalhadores.

Conclusões

As lesões músculo-esqueléticas são das doenças mais comuns relacionadas com o trabalho, as mesmas podem ser evitadas se forem implementadas medidas preventivas que no seu essencial se baseiam na adaptação dos postos de trabalho, podendo-se observar complementaridade com ginástica laboral, de forma a minimizar algumas lesões motivadas pela monotonia e repetitividade das atividades laborais e das más posturas. A prática da ginástica laboral ajuda por um lado a combater e por outro a prevenir de entre outras enfermidades, as lesões músculo-esqueléticas, potenciando o aumento de produtividade e a satisfação dos trabalhadores.

Os exercícios de ginástica laboral, tentam exercitar as partes do corpo onde as lesões são mais frequentes, com uma duração entre os cinco e os quinze minutos, podendo ser praticados diariamente.

Exercícios a realizar no posto de trabalho

Diagrama de exercícios para prevenir as Lesões Músculo-esqueléticas Relacionadas com o Trabalho

Deixe uma resposta

%d bloggers like this: